terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

De cá para lá... A Ideia - parte 2

Olá a todos!

Depois de voltas com o Movie Maker, finalmente, consegui colocar a ideia para a estrofe num formato que permitisse a sua publicação aqui!

A melodia dos dois primeiros versos é já conhecida de uma canção popular portuguesa. Como encaixava, achei engraçado colocá-la! O resto lá saiu...
Apesar de o registo agudo não ser muito confortável para mim e de ter trocado o lá com o cá (há uma passagem que não faz parte da ideia!!!)... dá para perceber a intenção!
A minha dúvida é se esta melodia não será um tanto complexa para ser cantada por crianças (esse é o nosso objectivo, certo?)... É que tem alguns "saltos"...

Tudo de bom!


Catarina,
tinhas dito que era preciso ver a métrica da estrofe que publicaste...
tentei ajustá-la de forma a ficar com métrica semelhante à primeira...Ora vê lá.(a seguir ao vídeo)

video

Foi Maria mais José
à procura de quinhão.
Veio de lá o Edimilson,
A Rosana e o Luísão.


Veio de lá o Dr. Nelson,
dentista, p'ra trabalhar
Encontrou tantos pacientes
Que acabou por cá ficar

3 comentários:

  1. Renata, gostei tanto da melodia como a maneira como encaixaste as quadras, gostei. Acho que não sei poderíamos tentar juntar as outras quadras para conseguir, assim ter a música completa! Parabéns :D beijinhos para todos!

    ResponderEliminar
  2. Sim, até que soa bem, temos é que ver a parte brasileira da coisa...
    Quanto ao ajuste que fizeste da estrofe que publiquei está porreiro, assim já encaixa na música, obrigada :)
    P.S. As tuas flautinhas eram tão fixes, ainda hei-de conseguir tocar naquilo, em condições! E tu vais conseguir tirar um som na minha Flauta de Nariz (lembras-te dela?) :P

    Viajando...

    ResponderEliminar
  3. Bem Catarina, que tu consigas tocar naquelas flautas em condições até acredito!
    Mas não me parece que eu consiga tirar algum som da famosa Flauta de Nariz!:) É mesmo engraçada!

    Agora mais sério,
    tenho estado a pensar e não sei se esta melodia encaixa lá muito bem no refrão com aquela "nuance brasileira" que o Jorge sugeriu na última sessão e que é a "parte brasileira da coisa". Se cantar assim o refrão e depois a estrofe parece-me que há uma quebra, como se as 2 partes não pertencessem ao mesmo. Temos que dar umas voltas a isto!

    Seria muito bom se conseguíssemos reunir as estrofes todas aqui no blog!Tu também fizeste algumas Ângela... certo? Adiciona ao post!

    Entretanto vou ver se deixo de ser preguiçosa e faço também alguma!

    Tudo de bom!

    ResponderEliminar